…the Union!

…the Union!

…o sindicato!. (the union)!.

…nos anos setenta do século passado e, por um período de tempo superior a trinta anos, iniciámos o nosso período de trabalho, na sucursal de uma multinacional no estado de Nova Jersey, que se dedicava à fundição, transformação e acabamento de diversos metais, alguns preciosos!. Naquela época e, dada a sua dimensão, tinha contratos com agências do governo, para fornecimento de alguns materiais exclusivos, como tal, também era obrigada a receber alguns reclusos/trabalhadores que, quase no final de cumprirem o castigo imposto por lei, por terem praticado algum crime, encontrando-se num período de análise, todos os dias pela manhã, chegavam num carro celular oriundos de uma prisão estatal, que existia a sul do estado, que à tarde os recolhia!. (In the seventies of the last century, and for a period of more than thirty years, we began our work in the branch of a multinational in the state of New Jersey, which was dedicated to the foundry, transformation and finishing of several metals, some precious!. At that time, and because of its size, it had contracts with government agencies to supply some exclusive materials, as such, it was also obliged to receive some inmates / workers who, almost at the end of complying with the punishment imposed by law, for having committed a crime, being in a period of analysis, every day in the morning, arrived in a cell car from a state prison, which existed to the south of the state, which in the afternoon collected them)!.

…exerciam as suas funções, como qualquer normal empregado, todavia, alguns chefes, já com uma certa idade, oriundos das montanhas do estado de Pennsylvania, mascavam tabaco e falavam pouco, eram um pouco rudes, praticavam alguma descriminação, não só com estas personagens, a quem a vida não sorriu, como com qualquer outra pessoa oriunda de outro país!. (They performed their duties, like any normal employee, however, some bosses, from a certain age, from the mountains of the state of Pennsylvania, chewed tobacco and talked little, were rude, practiced some discrimination, not only with these characters, to whom life did not smile, as with any other person coming from another country)!.

…nos primeiros três meses trabalhámos a seu lado, até ser-mos colocados numa posição permanente!. Certas atitudes eram incompreensíveis, chegava a haver algum contacto físico, pelo menos com os afro-americanos que, com receio de que a sua punição se agravasse, calavam-se, alguns até pediam desculpa, o que fazia esses chefes tornarem-se ainda mais agressivos!. Nós, talvez pela nossa vivência na Guerra Colonial Portuguesa em África, intercedíamos a favor destes homens, chegávamos mesmo a enfrentar esses chefes, além de físicamente pararmos os seus movimentos, denunciámos a sua atitude na gerência da sucursal!. (In the first three months we worked at his side, until we were placed in a permanent position! Certain attitudes were incomprehensible, there was some physical contact, at least with the African Americans who, fearing that their punishment would worsen, shut up, some even apologized, which made these bosses become even more aggressive!. We, perhaps because of our experience in the Portuguese Colonial War in Africa, interceded in favor of these men, even managed to confront these leaders, besides physically stopping their movements, we denounced their attitude in the management of the branch)!.

…estas atitudes correram fama em toda a zona de trabalho e, nas próximas eleições da “United Steelworkers of America”, (sindicato dos metalúrgicos), propuseram-nos para seu representante!. Somos eleitos por um período de três anos, o “rótulo” de “Union Men”, (homem do sindicato), fica para sempre gravado no nosso corpo como “nome de guerra”!. Seguem-se mais nove eleições, com períodos de três anos cada, fomos propostos e eleitos, desempenhando todos os cargos eligíveis nesta sucursal da “United Steelworkers of America”!. Durante trinta anos, fomos propostos a eleições, sendo sempre eleitos, muitas das vezes, dizendo que a idade já não nos dava a força suficiente para a luta, pois a pressão emocional do cargo era imensa, mas o nosso nome estava lá, éramos de novo eleitos!. (These attitudes have raged throughout the work zone, and in the next United Steelworkers of America elections, they have proposed us to their representative! We are elected for a period of three years, the “label” of “Union Men”, is forever engraved on our body as “name of war”!. This is followed by nine more elections, with periods of three years each, we have been nominated and elected, holding all the eligible positions in this branch of the United Steelworkers of America!. For thirty years, we were proposed to elections, always being elected, many times, saying that age no longer gave us enough strength to fight, because the emotional pressure of the post was immense, but our name was there, we were new elect)!.

…era raro o dia em que não havia conflitos!. O que era verdade pela manhã, à tarde era mentira!. Sempre havia alguém descontente!. Não era fácil, perante uma entidade patronal, com advogados especializados em conflitos laborais, defender alguém zangado, atolado na lama de pó de cobre, ou na poluição tanto física como sonora, ou trabalhar numa área junto de fornos de fundição de metais, onde a temperatura sempre passava os 100 graus e que, era acusado de parar o seu trabalho por um período superior a quinze minutos, que era acusado de ter um conjunto de atitudes, que chamavam de tóxicas e de mentalidade sindical, de confrontar a intimidação, de constantemente ser acusado de tentar infuenciar o colectivismo!. (It was a rare day when there were no conflicts!. What was true in the morning, in the afternoon was a lie! There was always someone disgruntled! It was not easy for an employer, with lawyers specializing in labor disputes, to defend someone angry, stuck in the mud of copper dust, or in both physical and sound pollution, or work in an area near metal smelting furnaces, where He was accused of stopping his work for more than fifteen minutes, which was accused of having a set of attitudes, which he called toxic and union-minded attitudes, of confronting intimidation, constantly be accused of trying to infuence collectivism)!.

…se um fantasma dos nossos avós, andasse hoje por aqui, ficaria surpreendido por ver alguém trabalhar sòmente oito horas por dia, pois muitos anos atrás, as pessoas trabalhavam de sol a sol, sete dias por semana, era normal o trabalho infantil, algumas pessoas eram parte das emprezas, portanto eram exploradas sem qualquer remuneração!. Era quase proibido, uma qualquer pessoa do povo, adoptar metas ou objectivos de construir uma empreza!. O relacionamento com a pessoa trabalhadora era considerado como um adversário, estava do lado de lá, tinha que se vencer em todos os aspectos!. Ao senhor patrão, nunca lhes passava pelo seu pensamento, que se o empregado vivesse com algum conforto, alimentasse bem a sua família, contente, poderia produzir mais!. (If a ghost of our grandparents was walking here today, I would be surprised to see someone work only eight hours a day, because many years ago, people worked from sunrise to sunset, seven days a week, child labor was normal , some people were part of the enterprises, so they were exploited without any compensation!. It was almost forbidden, any one of the people, to adopt goals or objectives to build an enterprise! The relationship with the working person was considered as an opponent, was on the side of there, had to overcome in every way!. To his master, it never crossed his mind that if the employee lived in comfort, he could feed his family well, he could produce more)!.

…voltando à nossa experiência de oficial do sindicato, se a entidade patronal aplicava um qualquer castigo a algum empregado, ou modificava alguma lei interna a seu favor, e nós ao intevir não saíamos vencedores, todos os pormenores eram escrutinados, toda a culpa da derrota era nossa, a nossa mãe Ilda era insultada, o nosso nome era escrito em letras grandes em alguns locais menos recomendáveis da zona de trabalho!. Se em qualquer outro conflito laboral, o empregado era compensado, portanto saíamos vencedores, a entidade patronal, proibía-nos de frequentar as instalações, onde íamos algumas vezes buscar uma caneca de café negro sem açúcar!. A nossa vitória para a entidade patronal era uma intransigência egocêntrica da mesquinhez de uma mentalidade sindical!. (Returning to our experience as a union officer, whether the employer applied any punishment to any employee, or modifying some internal law in his favor, and we did not win, all the details were scrutinized, all guilt of the defeat was ours, our mother Ilda was insulted, our name was written in large letters in some less desirable places of the zone! If in any other labor dispute, the employee was compensated, so we were winners, the employer, forbade us to go to the premises, where we would sometimes get a mug of black coffee without sugar!. Our victory for the employer was an egocentric intransigence of the pettiness of a trade union mentality)!.

…a lógica de que todos os sindicalistas são pessoas gananciosas e preguiçosas é uma mentira, acreditamos que exista alguma regra, mas no nosso caso, em mais de trinta anos de trabalho, perdemos apenas 13 dias por doença, uma semana (três dias no hospital), por intoxicação de gas, num espaço com uma saída difícil, onde infelizmente morreu um companheiro!. (The logic that all trade unionists are greedy and lazy people is a lie, we believe that there is some rule, but in our case, in more than thirty years of work, we lost only 13 days for illness, a week (three days in the hospital), for gas intoxication, in a space with a difficult exit, where unfortunately a companion died)!.

…temos a consciência de fomos um razoável mediador, em qualquer conflito laboral!. Muitas presenças em tribunal, defendendo o que a nossa consciência nos indicava uma resolução justa!. Quando a culpa recaía no empregado, sempre tentámos uma segunda ou terceira oportunidade!. Quando alguém, já sem qualquer recurso era despedido, por vezes andávamos deprimidos por algum tempo!. (We are aware that we have been a reasonable mediator in any labor dispute! Many presences in court, defending what our conscience indicated to us a just resolution! When it was the fault of the employee, we always tried a second or third opportunity! When someone, already without any appeal was fired, sometimes we were depressed for some time)!.

…quando deixámos de fazer parte da força de trabalho, reformando-nos, ainda ficámos uns anos ligados ao sistema da “United Steelworkers of America”, mas sómente como consultores, até se resolverem alguns casos em que estávamos envolvidos!. Na despedida, recebemos um relógio de ouro, entregue pela primeira vez, na história deste sindicato, por trinta anos de dirigente, proposto e eleito e, também pelos bons serviços prestados em favor da tal classe, acusada de confronto e intimidação, da resistência à inovação e a supressão da iniciativa, do colectivismo, do tal direito da intransigência egocêntrica, da mesquinhez de uma mentalidade sindical, mas que de uma maneira ou de outra, hoje é muito mais respeitada!. (When we ceased to be part of the workforce, reforming ourselves, we still spent a few years connected to the United Steelworkers of America system, but only as consultants, until some of the cases we were involved were solved! In the farewell, we received a gold watch, delivered for the first time in the history of this union, for thirty years of leader, proposed and elected, and also for the good services rendered in favor of this class, accused of confrontation and intimidation, resistance to innovation and the suppression of initiative, of collectivism, of the right of egocentric intransigence, of the pettiness of a trade union mentality, but which in one way or another is today much more respected)!.

Tony Borie, May 2018.

…the Hyena!

…the Hyena!

…a Hiena!. (the Hyena)!.

…fora das nossas tarefas militares andávamos por ali, naquela aldeia ao norte do aquartelamento, onde as crianças nos rodeavam porque no bolso, sempre trazíamos rebuçados comprados na loja do “Libanês”!. Nós, éramos um militar desarmado, reconhecendo a opressão e a luta pela dignidade, vivendo num cenário de guerra mas, lutando pela paz, fazendo o papel de protogonistas de uma história do progresso humano, que sempre foi uma esperança em todo o mundo mas, naquela época e naquele local, era um desafio difícil, muito difícil, ver uma mãe que, enfrentando a punição da pobreza, não tinha quase nada, talvez mesmo nada, para oferecer a uma criança que, começava a acreditar num mundo cruel, sem lugar para sonhos bonitos de criança!. (Outside our military tasks we were walking around in that village north of the barracks, where the children surrounded us because in our pockets we always brought sweets bought in the store of the Lebanese! We were a disarmed military man, recognizing the oppression and the struggle for dignity, living in a scenario of war but fighting for peace, playing the role of protogonists of a history of human progress, which has always been a hope throughout the world, at that time and in that place, it was a difficult, very difficult challenge to see a mother who, faced with the punishment of poverty, had almost nothing, perhaps nothing at all, to offer a child who was beginning to believe in a cruel, for beautiful child dreams)!.

…atrás das crianças vinham os adultos, entre os quais as “Bajudas”, (jovens raparigas), falávamos disto e daquilo, no entanto nunca perdíamos a nossa bússula moral porque, perdendo a moral, os bons e honestos princípios que devem guiar um ser humano, que muitos consideram tolos ou ingénuos, divorciando-nos das decisões que podemos tomar, mesmo naquele cenário de guerra, podiam ser ainda mais fatais, pelo menos para estas simples pessoas, que eram sem qualquer dúvida, as maiores vítimas da miserável Guerra Colonial Portuguesa, que infelizmente vivemos e, nos ficou marcada para o resto das nossas vidas, não só no corpo, como também na alma!. (Behind the children came the adults, among them the “Bajudas” (young girls), we spoke of this and that, nevertheless we never lost our moral compass because, losing the moral, the good and honest principles that must guide a human being whom many consider foolish or naive, divorcing us from the decisions we can make, even in that scenario of war, could be even more fatal, at least for these simple people who were without a doubt the greatest victims of the miserable Colonial Portuguese War, which we unfortunately live in, and has been marked for the rest of our lives, not only in the body, but also in the soul)!.

…muitos “homens grandes”, (chefes de famílias ou mesmo aldeias), falando num português acrioulado, que sem muita dificuldade compreendíamos, tratavam-nos por “irmão”!. Falavam com alguma sabedoria, pois tinham muitas “chuvas” (anos de idade), com uma espécie de bengalim em suas mãos, com o qual afugentavam os muitos insectos ou cães famintos, que por ali havia, e nós, sem nunca duvidar das suas palavras, pois eram sinceras, diziam-nos:

– olha ali, aquela, “cabaço, cá tem” (já tinha tido relações sexuais), anda aqui, aquela tem “mama firme”, (peito duro e saliente, sinal que não tinha amamentado criança), porque depois de “manga di sabe sabe”, (conversa de namoro), está na altura de “conversa giro”, (conversar, combinando sexo)!. Hó “irmão Cifra”, fica no Guiné, “ca bai”, (não vai), no Portugal!.

…e quando nos despedíamos, agarravam na nossa mão e diziam:

– “mantenhas” (saudades, gostámos de te ver)!.

…às vezes, até ficavam”tchora”, (chorando)!.

(Many “big men”, (heads of families or even villages), speaking in an acriled Portuguese, which we understood without difficulty, “brother”!. Spoke with some wisdom, because there were many “rains” (years) with a kind of Bengalim in his hands, with which the many hungry insects or dogs that were there were driven away, and we, without ever doubting their words, for they were sincere, they said to us:

– He looks there, that one, “cabaço, cá tem” (already had sex), walks here, that one has “mama firme”, (hard and salient breast, sign that had not breastfed child), because after “manga di sabe sabe” (dating conversation), it’s time for “conversa giro”, (talk, combining sex)! The “brother Cipher”, is in Guinea, “ca bai”, (not going), in Portugal!.

… and when we said goodbye, they would take hold of our hand and say:

– “mantenhas” (I miss you, we liked to see you!).

… sometimes they even “tchora”, (crying)!.

…todos sabemos que é verdade que a segurança não existe onde os seres humanos não têm acesso a comida suficiente, a água limpa, a medicina ou a um abrigo decente para se viver!. Onde as crianças não possam aspirar a uma educação decente, ou os seus pais tenham oportunidade a usufruir de uma ocupação que sustente a sua família!. A ausência de esperança pode destruir uma sociedade!. É por isso que o planeta Terra se deve unir, parar com os conflitos e, sobretudo ajudar as áreas rurais, para que as pessoas, como era o caso ali, naquela África do interior, que necessitavam de tudo, onde havia um solo rico, mas abandonado devido à guerra, sem oportunidade de cuidar dos doentes ou educar os seus filhos!. (We all know that it is true that security does not exist where human beings do not have access to enough food, clean water, medicine or a decent shelter to live! Where children can not aspire to a decent education, or their parents have the opportunity to enjoy an occupation that supports their family!. The absence of hope can destroy a society!. That is why planet Earth must unite, stop conflicts and, above all, help rural areas, so that people, as was the case there, in that inland Africa, who needed everything, where there was a rich soil, but abandoned due to war, no opportunity to care for the sick or educate their children)!.

…as crianças, que por ali andavam, tocavam em tudo o que reluzisse!. Por exemplo, a fivela do cinto, o emblema da boina, os ilhós das botas, os botões ou o relógio de pulso que algumas vezes usávamos!. Faziam guerra entre elas para se aproximarem de nós!. Numa dessas vezes, estando em pleno convívio, com alguma alegria própria de crianças, num instante desaparecem correndo para junto de suas “moranças”, (casas)!. Nós admirados com a situação, abrindo os braços em sinal de não compreender-mos a atitude, quando uma das “bajudas”, (jovens raparigas), que também estavam presentes, logo nos explicaram, sorrindo:

– o lobo do mato, come criança e, anda por aí!.

…o lobo do mato a que se referia, era uma hiena, que já lá ia algum tempo, andava rondando a aldeia!.

(The children, who walked around, touched everything that glittered! For example, the belt buckle, the beret emblem, the eyelets of the boots, the buttons or the wristwatch that we sometimes used! They were fighting between them to get close to us! In one of these times, being in full contact, with some joy of children, in an instant they disappear running to their “morances” (houses)! We were amazed at the situation, opening their arms in sign of not understanding the attitude, when one of the “bajudas” (young girls), who were also present, soon explained to us, smiling:

– The wolf in the bush, eat as a child, and walk around)!.

… the wolf of the bush to which he referred, it was a hyena, who had been there for some time, was prowling around the village)!.

…não precisamos de pensar que a natureza humana é perfeita para acreditar-mos que a condição humana pode ser aperfeiçoada, pois nós, não tínhamos ouvido nenhum ruído, nenhuma movimentação em redor, como era possível as crianças, terem dado pela presença da referida hiena!. Ainda hoje não sabemos, só temos uma explicação, a tal condição humana aperfeiçoada, talvez o olfacto, o instinto natural de protecção, mas só sensível para alguns!. Era mesmo uma hiena, pois passado uns minutos, passou ao longe, com o rabo curto, caído quase entre as pernas!.
(We do not need to think that human nature is perfect for us to believe that the human condition can be perfected, for we, we had not heard any noise, no movement around, as was possible the children, have given by the presence of said hyena!. Even today we do not know, we have only an explanation, to that perfected human condition, perhaps the smell, the natural instinct of protection, but only sensible for some! It was a hyena, for after a few minutes, she passed in the distance, her tail short, almost between her legs)!.

…o Mamadú, um caçador que costumava passar as madrugadas, esperando que os animais viessem beber água a uma pequena “bolanha” (pântano), que existia para os lados da aldeia de Porto Gole, pois era aí o seu local predilecto para caçar, apresenta-se um dia no aquartelamento, dizendo:

– pessoal vai buscar lobo do mato, que está morto, não come mais criança!.

(Mamadú, a hunter who used to spend the night, waiting for the animals to come and drink water to a small “bolanha” (swamp), which existed to the side of the village of Porto Gole, because it was his favorite spot there hunt, one day appears in the barracks, saying:

– People will get wolf from the bush, that is dead, do not eat more child)!.


…e lá foi a caminho da casa do “Libanês”, levando outra preza, uma gazela morta, pendurada à tiracol, ao qual vendeu, levando uma nota de cinquenta pesos, (dinheiro), embrulhada, metida na sacola do seu farnel, onde não faltava “coca”, (mistura de ervas, algumas afrodisíacas), que mascava quase vinte e quatro horas por dia!. (And there he went on his way to the “Lebanese” house, carrying another pretzel, a dead gazelle, hung on the shoulder, which he sold, carrying a note of fifty pesos (money), wrapped in his bag, where there was no lack of “coca”, (a mixture of herbs, some aphrodisiacs), that chewed almost twenty-four hours a day)!.

Tony Borie, may 2018.

…a few hours in Rio!.

…a few hours in Rio!.

…algumas horas no Rio!. (a few hours in Rio)!.

…nós ainda crianças, em casa de nossos pais na aldeia do Vale do Ninho d’Águia, na encosta agreste da montanha do Caramulo, em Portugal, ouvíamos frequentemente falar do Brazil!. A avó Agar usava nos seus pés umas chinelas que tinham sido sapatos no Brazil!. O Alberto, namorado da menina Tereza, (que por saber ler e escrever era a conselheira da família), tinha imigrado para o Brazil e, por lá ficou, deixando de lhe escrever cartas de amor!. Alguns portugueses lá imigrados, vinham a Portugal procurar esposa, que fosse donzela, boa cozinheira, saudável, vacinada e se possível boa parideira, para lhe darem muitos filhos!. Enfim, naquele distante tempo, até pensávamos que além de Portugal, só existia outro país no mundo, que era o Brazil!. (We were still children, at our parents’ house in the village of Valley of the Nest of Eagle, on the rugged hillside of Caramulo mountain in Portugal, we often heard of Brazil! Her grandmother Agar had on her feet slippers that had been shoes in Brazil!. Alberto, the boyfriend of the little girl Tereza (who knew how to read and write was the family counselor), had immigrated to Brazil, and left behind to write letters of love to her!. Some Portuguese immigrants came to Portugal to find a wife, to be a maid, a good cook, healthy, vaccinated and, if possible, a good “parideira”, to give her many children! At last, in that distant time, we even thought that besides Portugal, there was only one other country in the world, which was Brazil)!.

…portanto, já pensávamos naquela região, que alguns séculos antes, tinha sido habitada pelos povos Tupi, Puri, Botocudo e Maxakalí, que por ali viviam da pesca e da caça, antes dos europeus encontrarem pela primeira vez a Baía de Guanabara, em 1 de Janeiro de 1502, daí o nome Rio de Janeiro!. Era uma expedição portuguesa, sob o comando do explorador Gaspar de Lemos, capitão de um navio da frota de Pedro Álvares Cabral, mas alegadamente nesta expedição, o explorador florentino Amerigo Vespucci, também participou como observador, a convite do Rei D. Manuel I!. (So we already thought of that region, which some centuries before, had been inhabited by the Tupi, Puri, Botocudo and Maxakalí peoples who lived there fishing and hunting, before the Europeans first encountered the Guanabara Bay on January 1, 1502, hence the name Rio of January!. It was a Portuguese expedition, under the command of the explorer Gaspar de Lemos, captain of a ship of the fleet of Pedro Álvares Cabral, but allegedly on this expedition, Florentine explorer Amerigo Vespucci also participated as an observer, at the invitation of King Manuel I)!.

…sim, sempre falámos do Brazil, havia em nós um certo fascínio e, algumas vezes dizíamos que havíamos de visitar o país nem que fosse por umas horas, pelo menos a cidade do Rio de Janeiro, que tinha sido fundada pelos portugueses no longínquo ano de 1565, recebendo o nome de São Sebastião do Rio de Janeiro, talvez em homenagem a São Sebastião, o monarca de São Sebastião!. Havia na nossa família alguns parentes que também imigraram para esta cidade e, enviavam, quando havia portador, embalagens de doce de goiaba, roupas usadas com aspecto diferente, diziam que eram roupas tropicais!. (Yes, we always talked about Brazil, there was a certain fascination with us, and sometimes we said that we should visit the country for a few hours, at least the city of Rio de Janeiro, which had been founded by the Portuguese in the distant year 1565, receiving the name of São Sebastião do Rio de Janeiro, perhaps in honor of St. Sebastian, the monarch of St. Sebastian!. There were in our family some relatives who also immigrated to this city and sent, when there was a carrier, packs of guava candy, used clothes with a different appearance, they said they were tropical clothes)!.

…chegou o dia!. O nosso filho Tony, apreciando o nosso desejo, disse-nos:

– quando for em trabalho ao Rio de Janeiro, vou levá-los comigo!.

…era madrugada, o nosso avião voava a baixa altitude, da janela já se podia ver uma floresta verde, pequenas montanhas, com algumas nuvens brancas cruzando pequenos vales, mais além alguns imensos lagos dividindo as montanhas, um cenário bonito, parecendo um quadro desenhado!.

(The day has arrived!. Our son Tony, appreciating our desire, told us:

– When I go to work in Rio de Janeiro, I’ll take them with me!.

It was dawn, our plane was flying at low altitude, from the window one could already see a green forest, small mountains, with some white clouds crossing small valleys, beyond some immense lakes dividing the mountains, a beautiful scenery, looking like a picture drawn)!.

…estávamos perto de aterrar no Aeroporto Internacional António Carlos Jobim, mais conhecido como Aeroporto do Galeão, localizado na Ilha do Governador, na cidade do Rio de Janeiro, uma das principais portas de entrada na cidade, é funcional, mostrando até um certo luxo, com lojas, restaurantes, bancos e outras facilidades, aumentando a nossa curiosidade e, lembrando-nos que, no final do século XVII, ainda na época Açucareira, os Bandeirantes descobriram ouro e diamantes na vizinha capitania de Minas Gerais, tornando a cidade do Rio de Janeiro num porto muito prático para exportar riqueza, ouro ou pedras preciosas, além do açúcar, do que mesmo Salvador, na Bahia, muito mais a nordeste!. (We were close to landing at the António Carlos Jobim International Airport, better known as Galeão Airport, located on Ilha do Governador, in the city of Rio de Janeiro, one of the main ports of entry into the city, is functional, showing up to a certain luxury, with shops, restaurants, banks and other facilities, increasing our curiosity and, reminding us that, at the end of the 17th century, still in the Sugarcane era, the Bandeirantes discovered gold and diamonds in the nearby captaincy of Minas Gerais, making the city of Rio de Janeiro a very practical port for exporting wealth, gold or precious stones, besides sugar, even Salvador, Bahia, farther northeast)!.

…depois de passar pelos serviços de formalização alfandegária de fronteira, o nosso filho Tony, explicou-nos para ignorar-mos os serviços bancários do aeroporto, pois havia pessoas de confiança fora do aeroporto que praticavam qualquer serviço de câmbio, em qualquer moeda estrangeira, com rapidez e muito mais vantagem para o visitante!. Seguindo o conselho do nosso filho, logo nos lembrámos de que, o nome Rio de Janeiro, era o nome da Baía de Guanabara, que no início do século XVIII, era constantemente ameaçada e invadida por piratas e bucaneiros!. No entanto era verdade, o serviço foi rápido e eficiente!. (After going through customs border formalization services, our son Tony explained to us to ignore the airport’s banking services, as there were reliable people outside the airport who practiced any foreign exchange service in any  currency foreign, quickly and much more advantage to the visitor!. Following the advice of our son, we soon remembered that the name Rio de Janeiro was the name of the Bay of Guanabara, which at the beginning of the 18th century was constantly threatened and invaded by pirates and buccaneers!. However it was true, the service was fast and efficient)!.

…seguimos numa pequena camionete, atravessando parte da cidade em direção à zona sul, no Vidigal, onde próximo está situada a favela do Morro do Vidigal, um bairro embora pobre, como todas as favelas, situa-se entre os bairros mais nobres da cidade, como Leblon e São Conrado, sobre o Morro dos Dois Irmãos, sendo o reduto de diversos animais e plantas da Mata Atlântica, onde estava localizado o nosso hotel, que seria a nossa morada por algum tempo!. Esta zona é considerada por muitos um cartão-postal da cidade do Rio de Janeiro, um local favorável à pesca, maravilhoso para se contemplar uma vista única do mar, onde alguns afirmam que a vista do mar a partir do Vidigal é a mais bela da cidade!. (We continue in a small van, crossing part of the city towards the south, in Vidigal, where the favela of Morro do Vidigal is situated, a poor neighborhood, like all favelas, it is located between the noblest neighborhoods of the city, as Leblon and São Conrado, on the Morro dos Dois Irmãos, being the stronghold of several animals and plants of the Atlantic Forest, where our hotel was located, which would be our abode for some time!. This area is considered by many a postcard of the city of Rio de Janeiro, a place favorable to fishing, wonderful to contemplate a unique view of the sea, where some affirm that the view of the sea from Vidigal is the most beautiful of the City)!.

…depois da troca de roupa, seguindo algumas recomendações de segurança, estávamos prontos para percorrer alguns lugares históricos da cidade, para ir ver o que aconteceu, quando por volta do ano de 1763, a administração colonial na América Portuguesa foi transferida da cidade de Salvador, na Bahia, para a cidade do Rio de Janeiro, quando a cidade permaneceu basicamente como uma capital colonial até 1808, quando a família real portuguesa e a maioria dos nobres da cidade de Lisboa, fugindo da invasão de Napoleão a Portugal, se mudaram para a cidade do Rio de Janeiro!. (After the change of clothes, following some safety recommendations, we were ready to go through some historical places of the city, to see what happened, when around the year 1763, the colonial administration in Portuguese America was transferred from the city of Salvador, from Bahia, to the city of Rio de Janeiro, when the city remained basically a colonial capital until 1808, when the Portuguese royal family and most of the nobles of the city of Lisbon, fleeing the invasion of Napoleon, moved to the city of Rio de Janeiro)!.

…o hotel chamou um taxi, certificado, com segurança, que nos havia de transportar, pois por algumas décadas, junto de outras favelas, o Vidigal foi considerado um dos locais de maior perigo da cidade, devido entre outras coisas, à guerra do tráfico!. A primeira paragem foi junto da Lagoa Rodrigo de Freitas que, recebe águas de diversos rios afluentes, que descem das encostas circundantes, entre os quais se destaca o Rio dos Macacos, representando uma das principais atracções turísticas da cidade, conhecida como “O Coração do Rio de Janeiro”, talvez devido ao seu formato semelhante a um coração!. (The hotel called a taxi, certified, with security, that we had to transport, because for some decades, with other favelas, Vidigal was considered one of the most dangerous places in the city, due, among other things, to war of traffic!. The first stop was at the Rodrigo de Freitas Lagoon, which receives water from several tributary rivers that descend from the surrounding slopes, among which stands the Macacos River, representing one of the main tourist attractions of the city, known as “The Heart of the Rio de Janeiro”, perhaps due to its shape similar to a heart)!.

…esta bonita Lagoa, era habitada pelos índios Tamoios, que a chamavam de Piraguá, que significa enseada de peixe, todavia, com a chegada do colonizador português, o governador e capitão-geral da Capitania do Rio de Janeiro, António Salema, com o pensamento na ganância e ficar rico o mais rápido possível, pretendeu instalar um engenho de açúcar nas margens da lagoa e, para livrar-se da presença indesejável dos indígenas, recorreu ao estratagema de fazer espalhar roupas anteriormente utilizadas por doentes de varíola nas margens da lagoa, vindo assim a exterminá-los!. Iniciou-se então, o plantio de cana de açúcar e a montagem do Engenho d’El-Rey, onde actualmente funciona o Centro de Recepção aos visitantes do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, onde entretanto chegámos!. (This beautiful lagoon was inhabited by the Tamoios Indians, who called it Piraguá, which means fish cove, however, with the arrival of the Portuguese colonizer, the governor and captain-general of the Captaincy of Rio de Janeiro, Antonio Salema, with the thought in greed and get rich as fast as possible, intended to install a sugar plantation on the banks of the lagoon and, in order to get rid of the undesirable presence of the natives, resorted to the stratagem of spreading clothes formerly used by smallpox patients on the banks of the lagoon, thereby exterminating them! We started planting sugar cane and installing the Engenho d’El Rey, where the Reception Center currently operates for visitors to the Rio de Janeiro Botanic Garden, where we meanwhile have arrived)!.

…o Jardim Botânico da cidade do Rio de Janeiro, é uma das mais belas e bem preservadas áreas verdes da cidade, sendo um exemplo da diversidade da flora brasileira e até estrangeira, onde podem ser observadas cerca de 6.500 espécies, (algumas ameaçadas de extinção), numa área ao ar livre ou em estufas!. Por aqui existem monumentos de valor histórico, artístico e arqueológico e também a mais completa biblioteca do país especializada em botânica!. A sua origem remonta entre 1808 e 1821, quando da transferência da corte portuguesa para o Brazil, que se fixou na cidade do Rio de Janeiro, que já era a sede do Estado do Brazil, uma colónia portuguesa que assim, se tornou na sede do Império Português, sendo a única capital europeia fora da Europa!. (The Botanical Garden of the city of Rio de Janeiro, is one of the most beautiful and well preserved green areas of the city, being an example of the diversity of Brazilian and even foreign flora, where about 6,500 species can be observed (some endangered extinguishing), in an outdoor area or in greenhouses!. Around here there are monuments of historical, artistic and archaeological value and also the most complete library of the country specializing in botany!. Its origin dates back to 1808 and 1821, when the Portuguese court was transferred to Brazil, which settled in the city of Rio de Janeiro, which was already the seat of the State of Brazil, a Portuguese colony, Portuguese Empire, being the only European capital outside Europe)!.

…depois de respirar o ar fresco e puro admirando este maravilhoso espaço, o nosso próximo destino era o Cristo Redentor, em cujo trajecto, num labirinto de ruas, onde algumas casas rodeadas de pequenos jardins, nos mostravam que talvez algumas destas, tivessem sido usadas pelos nobres da Família Real Portuguesa que, quando chegaram à cidade, como não havia espaço físico ou estructura urbana para acomodar centenas de nobres que de repente chegaram, muitos habitantes foram simplesmente expulsos de suas casas!. (After breathing in the fresh, pure air admiring this wonderful space, our next destination was Christ the Redeemer, in whose path, in a labyrinth of streets, where some houses surrounded by small gardens, showed us that perhaps some of these had were used by the nobles of the Portuguese royal family who, when they arrived in the city, as there was no physical space or urban structure to accommodate hundreds of nobles who suddenly arrived, many inhabitants were simply expelled from their houses)!.

…chegámos à área do Cristo Redentor, ou seja à área do Parque Nacional Tijuca!. Usámos a linha férrea do Cosme Velho, a que quase todos chamam o Trem do Corcovado, que segue por entre um arvoredo cerrado, subindo lentamente até próximo do topo da montanha, onde existem alguns elevadores panorâmicos e algumas escadas rolantes, no entanto nós, preferimos caminhar, apreciando aqui e ali, um cenário deslumbrante!. O Cristo Redentor, é uma estátua, construída em cimento armado e pedra-sabão, com trinta metros de altura, sem contar os oito metros do seu pedestal e, os seus braços, estendem-se por 28 metros de largura!. (We have reached the area of Christ the Redeemer, or to the area of the Tijuca National Park!. We used the railway line of Cosme Velho, which almost everyone calls the Corcovado Train, that follows through a closed grove, rising slowly until near the top of the mountain, where there are some panoramic elevators and some escalators, however we prefer walk, enjoying here and there, a breathtaking scenery!. The Christ the Redeemer, is a statue, built in reinforced concrete and soapstone, thirty meters high, not counting the eight meters of its pedestal and, its arms, extend for 28 meters of width)!.

…esta estátua gigante, está localizada no topo do morro do Corcovado, a 709 metros acima do nível do mar, no Parque Nacional Tijuca, com uma vista deslumbrante para a maior parte da cidade!. Foi eleito como uma das “sete maravilhas do mundo moderno” e, a UNESCO considerou o Cristo Redentor como parte da paisagem do Rio de Janeiro, incluída na lista de Patrimónios da Humanidade!. Representa também o símbolo do cristianismo brazileiro, tornando-se um ícone da cidade do Rio de Janeiro e um dos maiores símbolos da América Latina!. Vamos recordar este monumento e o cenário que se desfruta deste local, pelo resto das nossas vidas!. (This giant statue, is located at the top of Corcovado hill, at 709 meters above sea level, in the National Park Tijuca, with a breathtaking view to most of the city!. It was elected as one of the “Seven Wonders of the Modern World” and UNESCO considered the Christ Redeemer as part of the Rio de Janeiro landscape, included in the list of World Heritage Sites!. It also represents the symbol of Brazilian Christianity, becoming an icon of the city of Rio de Janeiro and one of the greatest symbols of Latin America!. We will remember this monument and the scenery that is enjoyed by this place, for the rest of our lives)!.

…antes de subir ao morro do Corcovado, já um pouco familiarizados com a cidade, deixámos o transporte de taxi, agradecendo ao seu condutor toda a boa vontade e informação que nos prestou, começando por usar os transportes públicos do “bonde” ou “bondinho” (carro eléctrico), que são a última lembrança viva, uma autêntica atracção turística e relíquia histórica de um nostálgico e saudoso meio de transporte urbano, que está práticamente extinto nos dias de hoje, embora ainda usado como meio de transporte em cidades como Lisboa, Portugal, São Francisco e Nova Orleans, nos USA ou aqui no Brazil!. (Before ascending to the Corcovado hill, already a little familiar with the city, we left the taxi transport, thanking its driver for all the goodwill and information he gave us, beginning with using the public transport of the tram or “tram”, which is the last living memory, an authentic tourist attraction and relic of a nostalgic and longing for urban transportation, which is practically extinct nowadays, although still used as a means of transportation in cities like Lisbon, Portugal, San Francisco and New Orleans, in the USA or here in Brazil)!.

…seguindo na direção à área da praia de Copacabana, fomos vendo algumas praças, monumentos e casas com alguma beleza exterior, que nos lembram as primeiras décadas da cidade, quando o Brazil foi elevado ao Reino, por volta do ano de 1815, tornando-se a capital do Reino Unido de Portugal, Brazil e dos Algarves, até ao retorno da Família Real Portuguesa a Lisboa, que se realizou por volta do ano de 1821, todavia permanecendo como capital do Reino do Brazil!. (Going towards the Copacabana beach area, we saw some squares, monuments and houses with some exterior beauty that remind us of the first decades of the city, when Brazil was elevated to the Kingdom, around the year 1815, becoming the capital of the United Kingdom of Portugal, Brazil and the Algarves, until the return of the Portuguese Royal Family to Lisbon, which took place around the year 1821, yet remaining as the capital of the Kingdom of Brazil)!.

…chegámos à praia de Copacabana, que séculos atrás se chamava Sacopenapã, um nome “tupi”, que significa “caminho de socós”!. A lenda diz-nos que, após a chegada dos espanhóis à região da Copacabana Boliviana, Nossa Senhora teria aparecido no local a um jovem pescador, que em sua homenagem teria esculpido uma imagem da Santa, que ficou conhecida como Nossa Senhora de Copacabana, imagem esta, vestida de dourado pousada sobre uma meia-lua!. Muitos anos depois, comerciantes bolivianos e peruanos de prata, chamados na época de “peruleiros” trouxeram uma réplica dessa imagem para esta praia do Rio de Janeiro, construindo uma capela num rochedo em homenagem à Santa, daí nasceu o nome de praia de Copacabana!. (We arrived at the beach of Copacabana, that centuries ago was called Sacopenapã, a name “Tupi”, that means “way of punches”!. Legend tells us that after the arrival of the Spaniards in the region of Copacabana Boliviana, Our Lady would have appeared in the place a young fisherman, who in his honor would have carved an image of the Santa, which became known as Our Lady of Copacabana, image this one, dressed in gold on a half moon!. Many years later, Bolivian and Peruvian silver merchants, called in the time of “peruleiros”, brought a replica of this image to this beach in Rio de Janeiro, building a chapel on a rock in honor of the Santa, hence the name of Copacabana beach)!.

…o sol e a aragem eram fortes, queríamos percorrer outros lugares, portanto parámos pouco tempo, no entanto admirámos um pouco de uma praia e de um dos bairros mais famosos e prestigiados do Brazil e um dos mais conhecidos do mundo, onde na orla do mar, é um lugar previligiado para variados eventos nacionais e internacionais durante o ano inteiro, pois o seu clima convida, que hoje tem como apelido, “Princesinha do Mar e Coração da zona Sul”!. Á noite havíamos de aqui voltar!. (The sun and the breeze were strong, we wanted to go other places, so we stopped a short time, however we admired a bit of a beach and one of the most famous and prestigious neighborhoods of Brazil and one of the best known in the world, where the sea is a privileged place for various national and international events throughout the year, because its climate, which today has its nickname, “Princess of the Sea and Heart of the South”!. In the evening we would have to come back)!.

…sentindo vontade em comer algo, seguindo uma tradição carioca, comprámos o Biscoito Globo e Mate, (Biscoito Globo, é um bolo que parece ser feito de farinha de mandioca de cor amarela e, o Mate é uma bebida tipo chá, que deve de ser bebida fresca), a um dos muitos vendedores ambulantes, que num movimento incansável, para a frente e para trás, a apregoar pregões ou pequenos refrões, mostrando uma alegria ímpar, considerados personagens tradicionais, que fazem parte de um património cultural, que se confunde perfeitamente, com a paisagem desta maravilhosa praia!. (Feeling the desire to eat something, following a tradition in Rio de Janeiro, we bought the Biscoito Globo e Mate, (Biscoito Globo, it is a cake that seems to be made of yellow cassava flour and, Mate is a tea type drink, which must be a fresh drink), to one of the many street vendors, who in a tireless movement, back and forth, to proclaim pregões or small refrains, showing a unique joy, considered traditional characters, that are part of a cultural heritage, which is perfectly blended with the landscape of this wonderful beach)!.

…nos transportes públicos de ónibus (camionete), seguimos em direção à área do Pão de Açúcar, apreciando algum cenário de mar e praia selvagem, onde possívelmente muitos anos atrás, talvez do período colonial até às primeiras décadas independentes, a hoje cidade do Rio de Janeiro, era naquele tempo uma cidade de escravos, havendo um grande fluxo de escravos africanos para o Rio de Janeiro, onde alguns historiadores dizem que, por volta do ano de 1819, havia 145.000 escravos na capitania e, por volta do ano de 1840, o seu número cresceu para 220.000, sendo o porto do Rio de Janeiro, o maior porto de escravos da América!. (In public transport by bus, we head towards the Sugar Loaf area, enjoying some scenery of sea and wild beach, where possibly many years ago, perhaps from the colonial period to the first independent decades, today’s city of Rio de Janeiro, was at that time a city of slaves, with a great flow of African slaves to Rio de Janeiro, where some historians say that around the year 1819, there were 145,000 slaves in the captaincy and, around the year of 1840, its number increased to 220,000, being the port of Rio de Janeiro, the largest port of slaves of America)!.

…chegámos à área do Pão de Açúcar!. É um complexo de morros, localizado no bairro de Urca, composto pelo Morro do Pão de Açúcar, pelo Morro da Urca e pelo Morro da Babilónia que, pelas características únicas, margeado pelas águas da Baía de Guanabara, constitui uma referência turística internacional da cidade!. Perdendo algum receio, pois visto de baixo parece-nos impossível de alcançar o seu cume, fizémos um passeio de teleférico, interligando a Praia Vermelha, o Morro da Urca e o Morro do Pão de Açúcar!. (We arrived at the area of the Sugar Loaf!. It is a complex of hills, located in the neighborhood of Urca, made up of the Sugar Loaf Mountain, Morro da Urca and Morro da Babilónia, which, due to its unique characteristics bordered by the waters of Guanabara Bay, is an international tourist reference of the city!. Losing some fear, as seen from below it seems impossible to reach its summit, we did a cable car ride, connecting Praia Vermelha, Morro da Urca and Morro do Sugar Loaf)!.

…é uma aventura com muita excitação, pois o teleférico, inaugurado no ano de 1912, tornando-se o primeiro teleférico instalado no país e o terceiro no mundo, nestes mais de cem anos de existência, já transportou mais de quarenta milhões de pessoas e, quando se tem ascesso à última estação de paragem, mais ou menos com 396 metros de altitude, podemos presenciar um cenário, com uma vista panorâmica das cidades de Rio de Janeiro e Niterói, única, impossível de se imaginar, fica gravada na memória para o resto dos nossos dias!. (Is an adventure with great excitement, because the cable car, inaugurated in 1912, becoming the first cable car installed in the country and the third in the world in these more than one hundred years of existence, has already carried more than forty million people, and when you arrive at the last stop, at a height of 396 meters, we can see a scene with a panoramic view of the cities of Rio de Janeiro and Niteroi, unique, impossible to imagine, engraved in the memory for the rest of our days)!.

…em complemento a esta maravilha da natureza, cumpre-nos dizer que, ao sul da cidade, existem praias em mar aberto, a noroeste algumas planícies compostas por sedimentos marinhos e continentais, com colinas e várias montanhas rochosas, onde entre outras se destaca este Morro do Pão de Açúcar, constituído por um bloco único de gnaisse-granito, com mais de seiscentos milhões de anos de idade, que surgiu da separação entre continentes sul-americano e o africano, que sofreu alterações por pressão e temperatura!. É rico em espécies de plantas rupícolas, estando presentes, em suas diversas faces, espécies endêmicas de bromélias e orquídeas e, a face sul é especialmente rica, práticamente toda tomada por um tapete vegetal, contrastando com a face norte, que apresenta pouca vegetação, sendo também circundado por uma Mata Atlântica!. (In addition to this marvel of nature, we must say that, to the south of the city, there are beaches in the open sea, to the northwest some plains composed of marine and continental sediments, with hills and several rocky mountains, among which this Sugar Loaf Hill stands out, constituted by a unique block of gnaisse-granite, more than six hundred million years old, that arose from the separation between South American and African continents, which underwent changes by pressure and temperature!. It is rich in species of rupicolous plants, with endemic species of bromeliads and orchids in its various faces, and the south face is especially rich, practically all taken by a vegetal carpet, contrasting with the north face, which has little vegetation, being also surrounded by an Atlantic Forest)!.

…a luz do dia estava a terminar, viajando no mesmo transporte público, regressámos de novo à área da praia de Copacabana, pensando na música oficial da cidade que é, “Cidade Maravilhosa”!. Aqui apreciámos, caminhando no “Calçadão” da praia de Copacabana, que consta de um traçado em pedras portuguesas, igual ao que existe na Praça do Rossio, na cidade de Lisboa, em Portugal!. O desenho simboliza em Portugal, o encontro do Rio Tejo com o oceano, na cidade de Rio de Janeiro, simboliza as ondas do mar!. A ideia foi homenagear os colonizadores Portugueses, sendo este traçado conhecido como “Mar Largo”!. O seu autor, não poderia imaginar que para ilustrar a calçada da avenida, que estava a ser ampliada, criaria o principal símbolo do bairro de Copacabana e, também da praia mais famosa do mundo!. (The daylight was ending, traveling in the same public transport, we returned again to the beach area of Copacabana, thinking about the official music of the city that is, “Wonderful City”!. Here we enjoyed walking on the “Calçadão” beach of Copacabana, which consists of a tracing in Portuguese stones, just like there is in Rossio Square, in the city of Lisbon, in Portugal!. The drawing symbolizes in Portugal, the meeting of the Tagus River with the ocean, in the city of Rio de Janeiro, symbolizes the waves of the sea!. The idea was to pay homage to the Portuguese settlers, this route known as “Largo Mar”!. Its author, could not imagine that to illustrate the sidewalk of the avenue, which was being enlarged, would create the main symbol of the neighborhood of Copacabana and also the most famous beach in the world)!.

…nesta área da praia de Copacabana, visitámos um dos muitos restaurantes que por aqui existem!. Era nossa intenção apreciar a culinária local, entrámos num, havia uma mesa longa com diferentes qualidade de comida, tipo bufete, podíamos apreciar o churrasco do Rio Grande do Sul, o acarajé da Bahia ou o pão de queijo de Minas Gerais mas, as comidas cariocas estão directamente ligadas à gastronomia portuguesa, talvez consequência da colonização do estado durante quase dois séculos, que no decorrer do tempo se foram adaptando à realidade do Rio de Janeiro!. (In this area of Copacabana beach, we visited one of the many restaurants that exist here!. It was our intention to enjoy the local cuisine, we entered one, there was a long table with different quality of food, buffet style, we could enjoy the barbecue of Rio Grande do Sul, the acarajé of Bahia or the bread of cheese of Minas Gerais but, the foods Cariocas are directly linked to Portuguese gastronomy, perhaps a consequence of the colonization of the state during almost two centuries, that in the course of time have been adapted to the reality of Rio de Janeiro)!.

…assim, havia diversos pratos à base de bacalhau ou peixe fresco mas, o que nos despertou a atenção, foi a feijoada à brazileira, uma herança dos escravos africanos que foi aperfeiçoada ao longo dos anos, cuja receita leva algumas partes do porco (focinho, pé, toucinho, etc), acompanhada com farofa e arroz branco, que é a favorita dos cariocas!. Estava deliciosa!. Para sobremesa, comemos “Chuvisco”, um doce típico feito à base de ovos, de algumas aldeias do interior do Rio da Janeiro!. (So there were several dishes based on cod or fresh fish, but what aroused our attention was the Brazilian feijoada, a heritage of the African slaves that has been perfected over the years, whose recipe takes some parts of the pig (muzzle, foot, bacon, etc), accompanied with farofa and white rice, which is the favorite of the cariocas!. It was delicious!. For dessert, we eat “Chuvisco”, a typical sweet made from eggs, from some villages in the interior of Rio de Janeiro)!.

…regressámos à praia, onde alguns quiosques, ainda abertos ao público, vendiam recordações, e nós, comprando algo, pagávamos com uma nota, cremos de cinquenta reais, onde a pessoa que nos atendia, nos disse imediatamente que não tinha troco e que devíamos esconder o dinheiro, pois éramos uma possível vítima de roubo!. Ignorámos as suas palavras, percorremos aquela área procurando que nos trocassem o dinheiro, acabando por mandar parar um taxi, que nos havia de levar ao hotel, que nos trocou o dinheiro, oferecendo-se para esperar, dando-nos tempo para que voltássemos ao quiosque comprar a recordação!. (We returned to the beach, where some kiosks, still open to the public, sold souvenirs, and we, buying something, paid with a bill, we credited fifty reais, where the person who attended us, told us immediately that there was no change and that we should hide the money because we were a possible victim of theft!. We ignored his words, we went through that area, trying to get them to exchange the money, and ended up ordering a taxi to take us to the hotel, who exchanged the money, offering to wait, giving us time to go back to the kiosk to buy the souvenir)!.

…já no hotel, contámos esta aventura, onde o amável empregado nos explicou que tinha sido um “milagre”, estarmos vivos, sem qualquer ferimento ou trauma, pois os assaltos são frequentes àquela hora da noite, naquela área de Copacabana!. (Already in the hotel, we told this adventure, where the kindly employee explained to us that it had been a “miracle”, to be alive, without any injury or trauma, since robberies are frequent at that hour of the night, in that area of Copacabana)!.

…parte do próximo dia, como adoramos futebol, visitámos o estádio do Maracanã, que foi e continua a ser palco de grandes momentos de futebol e não só!. Visitámos no interior norte da cidade, uns parentes, filhos de uns tios em segunda geração, que não conhecíamos, mas sabíamos que existiam!. Cerca do meio dia, na companhia de um familiar, primo em segunda geração, fomos comer a um restaurante nos subúrbios da cidade, era um “Boteco”, (bar ao virar da esquina, o bar da vizinhança, o bar da convivência com amigos, que não é extravagante ou numa rua ou bairro chique, sendo um ponto discreto que todos sabem que está lá), com alguma apresentação e limpeza, serviram-nos peixe fresco, limpo e confecionado no momento, vinho em garrafa com rótulo do sul do Brazil e como sobremesa um doce de goiaba, tudo para quatro pessoas, pagando um preço (fazendo o câmbio), quase igual a um pequeno almoço para uma pessoa, aqui na Flórida!. (Part of the next day, as we love football, we visited the stadium of Maracanã, which was and continues to be the stage of great moments of football and not only!. We visited in the north of the city, some relatives, children of uncles in second generation, that we did not know, but we knew that they existed!. Around noon, in the company of a family member, a second-generation cousin, we went to a restaurant in the suburbs of the city, it was a “Boteco” (bar around the corner, the neighborhood bar, the bar with friends , which is not extravagant or in a street or upscale neighborhood, being a discreet point that everyone knows is there), with some presentation and cleanliness, they served us fresh fish, cleaned and confectioned at the time, bottle wine with southern label Brazil and for dessert a guava jam, all for four people, paying a price (making the exchange), almost equal to a breakfast for one person, here in Florida)!.

…antes da noite, regressámos ao Aeroporto do Galeão, onde lá estava a tal personagem que, de novo nos fez o câmbio ao resto do dinheiro, tudo muito certinho, desejando-nos boa viagem em idioma inglês, tal como podia ser em francês, alemão, italiano, japonês ou chinês, sempre sorrindo!. (Before the night, we returned to the Galeão Airport, where there was such a character that, once again, made us exchange the rest of the money, all very correct, wishing us good travel in English language, as it could be in French, German Italian, Japanese or Chinese, always smiling)!.

…finalmente, embarcando de regresso aos USA!. (Finally, embarking back to the USA)!

Tony Borie, May 2018.

…the uniform were gray, just like our destination!

…the uniform were gray, just like our destination!

…a farda era cinzenta, tal como o nosso destino!. (the uniform were gray, just like our destination)!.

…nós, que participámos na Guerra Colonial Portuguesa em África, sofriamos as emboscadas naquelas savanas tórridas de terra vermelha, naquelas “bolanhas”, (pântanos), ou naqueles malditos bombardeamentos ao aquartelamento, (bombardeamentos rápidos, não duravam mais do que 25 ou 30 minutos, era do género bombardear, matar e fugir), onde o refúgio nos abrigos nos salvavam duma morte, onde um corpo humano podia ficar reduzido a pequenos pedaços!. (we, who participated in the Portuguese Colonial War in Africa, were ambushed in those torrid savannas of red earth, in those “bolanhas” (swamps), or in those damn bombardments to barracks, (rapid bombardments did not last more than 25 or 30 minutes, was to bomb, kill, and flee), where the shelter in the shelters saved us from death, where a human body could be reduced to small pieces)!.

…era uma guerra de guerrilha convencional, com armas convencionais, com tácticas de campo de batalha entre nós, ao serviço do então governo Colonial Português e os guerrilheiros, que lutavam pela independência do seu território!. As forças de cada um dos lados, visavam enfraquecer ou destruir as forças do oponente com armas convencionais e, do nosso conhecimento em cenário de guerra, nunca foram usadas armas químicas, biológicas ou nucleares!. Hoje, infelizmente, talvez já não será assim, no final de uma qualquer guerra, entre países civilizados, tudo ficará destruído, talvez por séculos!. (was a conventional guerrilla war, with conventional weapons, with battlefield tactics among us, at the service of the then Portuguese Colonial Government and the guerrillas, who fought for the independence of their territory! The forces on either side were intended to weaken or destroy the opponent’s forces with conventional weapons, and, to our knowledge in a war scenario, chemical, biological or nuclear weapons have never been used! Today, unfortunately, perhaps it will not be so, at the end of any war, between civilized countries, everything will be destroyed, perhaps for centuries)!.

…sim, por séculos, mas já lá vai mais de meio século, ainda por cá andamos, para contar alguns episódios dessa vivência e, para que sobretudo os jovens nunca, mas mesmo nunca, se envolvam em qualquer esquema ou organização, que termine no começo de uma qualquer guerra, mas hoje vamos deixar o cenário de combate, vamos fazer um pequeno resumo por onde passámos, antes de navegar-mos pelo oceano, rumo a África, tem algumas partes pitorescas, cá vai!. (yes, for centuries, but more than half a century ago, we are still here to tell some episodes of this experience and, especially, that young people never, but never ever, become involved in any scheme or organization that it ends at the beginning of any war, but today we will leave the scene of combat, let’s make a brief summary of where we went, before navigating the ocean, towards Africa, there are some picturesque parts, here it goes)!.

…a farda era cinzenta, feita de pano grosso, tinha que andar sempre ou quase sempre com os botões apertados, podia ser primavera, verão ou inverno!. De acordo com a informação que está escrita na nossa “Caderneta militar”, cuja cópia partilho com todos, “assentámos praça”, no Regimento de Infantaria 10, na cidade de Aveiro, no Quartel de Sá, que era próximo da estação do caminho de ferro, onde terminava o percurso do “nosso combóio”, o tal que acordava as ovelhas no curral, quando passava a toda a velocidade na nossa aldeia do Vale do Ninho d’Águia, lá na encosta agreste da montanha do Caramulo, descendo em direcção ao mar!. (the uniform was gray, made of thick cloth, had to walk always or almost always with the tight buttons, could be spring, summer or winter!. According to the information that is written in our “Military notebook”, whose copy I share with everyone, “we settled squares”, in Infantry Regiment 10, in the city of Aveiro, in Sá Quartel, which was near the station of the where the “our train” ended, the one that woke up the sheep in the corral, when it passed at full speed in our village of the Vale do Ninho d’Águia, (Nest of Eagle Valley), on the rugged slope of Caramulo mountain, descending toward to the sea)!.

…aquelas instalações, eram as antigas cavalariças, não existia o mínimo de qualidade de vida, recebemos o primeiro treino, que como já mencionámos em outros textos, era ouvir as basófias de um instrutor que tinha regressado de uma comissão em África, de uma província onde já existia o início de guerrilha, portanto ele, justificando a sua experiência, exemplificava em nós, como se devia matar, rápido, com dor ou sem dor, que já não seríamos mais os filhos queridos do pai ou da mãe, agora éramos filhos da nação, prontos a dar a vida pela nação, combatendo, matando o inimigo, fuzilando-o, antes que o inimigo nos fuzile a nós!. (these facilities were old stables, there was no minimum quality of life, we received the first training, which as we have already mentioned in other texts, was to listen to the basophils of an instructor who had returned from a commission in Africa, from a province where there was already a guerrilla beginning, so he, justifying his experience, exemplified in us how to kill, fast, with pain or without pain, that we would no longer be the beloved sons of the father or the mother, now we were children of the nation, ready to give their lives for the nation, fighting, killing the enemy, shooting him, before the enemy fires at us)!.

…uns meses depois, num “combóio especial”, só com militares, viajámos para a capital do Território Continental Português, que era a cidade de Lisboa!. Uns tantos de nós, fomos colocados no Regimento de Artilharia De Costa, do outro lado do Rio Tejo, na vila da Trafaria, de onde guardamos algumas boas e más recordações. As boas eram o conforto dos “Primos de Lisboa” e de um Sargento bonacheirão, que nos levava a receber instrução psicológica, na floresta, com vista para o Rio Tejo, dizendo-nos que a nossa bandeira era a nossa Pátria e a nossa mãe, que nos devíamos sentir bem pensando assim, pois o nosso País Colonial era o nosso orgulho!. Alguns de nós, aqueles oriundos das cidades, diziam-nos para desfrutar-mos da paisagem e não levar a sério as palavras do bom do sargento, que de vez em quando bebia algo de uma contenda que guardava dentro da sua camisa!. As outras recordações, as más, eram as caminhadas e os exercícios na margem do Rio Tejo, orientadas por outro militar que também tinha regressado de uma comissão na província da Angola, que tinha sido campeão de maratona!. (a few months later, in a “special convoy”, only with the military, we traveled to the capital of the Portuguese Continental Territory, which was the city of Lisbon!. A few of us were placed in the Artillery Regiment De Costa, on the other side of the Tagus River, in the village of Trafaria, where we keep some good and bad memories. The good ones were the comfort of the “Cousins of Lisbon” and a nice sergeant, who took us to receive psychological instruction, in the forest, overlooking the Tagus River, telling us that our flag was our Motherland and our mother, that we should feel good thinking like this, because our Colonial Country was our pride!. Some of us from the cities told us to enjoy the scenery and not take seriously the words of the sergeant’s good that he drank something from time to time from a quarrel he kept inside his shirt! The other memories, the bad ones, were the walks and exercises on the banks of the River Tagus, guided by another military man who had also returned from a commission in the province of Angola, which had been a marathon champion)!.

…aqui recebemos a instrução para exercermos a tarefa de Operador Cripto, com a máxima classificação final, com a promessa de que nunca iríamos para ao tal cenário de guerra em África, pois o nosso destino seria dar instrução ao novos instruendos!. Atravessámos de novo o Rio Tejo, em direcção à província do Alentejo, para exercer um treino final no Quartel General da cidade de Évora, onde era agradável o cenário, com planícies, uma cidade dentro de uma fortificação romana, onde havia ruas pequenas com escadarias em pedra, pequenas tavernas, com comida regional, onde era agradável ouvir as pessoas contando histórias de cavalos, touradas e cavaleiros importantes, que tinham brilhado em praças de touros em Espanha!. (here we received the instruction to carry out the task of Operator Cripto, with the highest final classification, with the promise that we would never go to such a scenario of war in Africa, because our destiny would be to instruct the new instructors! We crossed the Tagus River again towards the province of Alentejo to perform a final training session at the General Headquarters of Évora, where the scenery was pleasant, with plains, a city inside a Roman fortification where there were small streets with staircases in stone, small taverns, with regional food, where it was pleasant to hear people telling stories of horses, bullfights and important knights who had shone in bullrings in Spain)!.

…acabando o treino final, de novo viajando de combóio, regressamos à capital, à cidade de Lisboa, (guardamos religiosamente os bilhetes), onde fomos colocados no Estado Maior do Exército, exercendo as nossas tarefas decifrando e cifrando mensagens que vinham das Províncias Ultramarinas!. Éramos uns previligiados, pois concederam-nos um salvo conduto, onde éramos livres de vaguear pela cidade sem qualquer interferência de qualquer polícia militar, assim eram muitas as vezes que visitávamos a casa dos “Primos de Lisboa”, sentindo-nos quase como na nossa aldeia do Vale do Ninho d’Águia!. (finishing the final training, again traveling by train, we returned to the capital, to the city of Lisbon, (we religiously kept the tickets), where we were placed in the Army General Staff, performing our tasks deciphering and encrypting messages that came from Overseas Provinces!. We were privileged because they granted us a safe passage, where we were free to roam the city without any interference from any military police, so we often visited the house of the “Cousins of Lisbon”, feeling almost like ours village of the Valley of the Eagle’s Nest)!.

…aqui na cidade de Lisboa, temos um segredo, passado no Mosteiro dos Jerónimos!. Nós estávamos alojados no Depósito Geral de Adidos, no bairro de Belém, quase junto ao Mosteiro e, num certo domingo, andando por ali, com roupa civil, na companhia do Torres, militar também oriundo do norte, tal como nós, jovens, com uns sapatos muito bem engraxados, uma camisa de manga curta, onde sobressaím alguns “músculos”, vendo uma cerimónia de casamento que entrava no Mosteiro, juntámo-nos aos convidados, assistimos a toda a cerimónia, o Torres ia falando com alguns convidados, familiarizando-se ao ponto de no final, seguirmos no carro de um qualquer casal, onde o Torres não parava de falar coisas do noivo, pronunciando o seu nome, pois tinha ouvido o referido nome no momento da cerimónia!. Lá fomos para uma quinta na região da cidade de Sintra, onde não faltava comida e, tal foi o descaramento do Torres que a certa altura, andou a dançar com a noiva!. Para completar o cenário, quando nos despedimos, ele, o Torres, pediu uma garrafa de champanhe para o caminho!. Sem nos aperceber-mos, estávamos à boleia para a cidade Lisboa, já um pouco tontos sobre influência da bebida e, com uma garrafa de champanhe nas mãos!. Nós, hoje sentimos duas versões desta aventura, orgulho e um pouco de vergonha!. (here in the city of Lisbon, we have a secret, spent in the Jeronimos Monastery!. We were housed in the General Adidas Warehouse, in the neighborhood of Belém, almost next to the Monastery, and on a certain Sunday, walking there, in civilian clothes, in the company of Torres, a military man also from the north, just like us, very well-polished shoes, a short-sleeved shirt, where a few “muscles” stood out, saw a wedding ceremony that entered the Monastery, joined the guests, attended the whole ceremony, Torres spoke with some guests, to the point that at the end, we would follow in the car of any couple, where Torres would not stop talking about the groom’s words, pronouncing his name, because he had heard the name at the time of the ceremony!. There we went to a farm in the region of the city of Sintra, where there was no shortage of food and, such was the brazenness of Torres who at one point, danced with the bride!. To complete the scenario, when we said goodbye, he, Torres, ordered a bottle of champagne for the way!. Without realizing it, we were on the road to Lisbon, already a little dizzy over the influence of the drink, and with a bottle of champagne in our hands! We, today feel two versions of this adventure, pride and a little shame)!.

…a seguir, é o início do conflito na então Província Colonial da Guiné Portuguesa, onde existia um grupo organizado e armado, que lutava pela independência do seu território, iniciando uma guerra de guerrilha, traiçoeira, mortífera, tentando expulsar os Portugueses oriundos da Europa, que por ali governavam há algumas centenas de anos, que foi o motivo para a nossa imediata mobilização, embarque e, deslocação para um cenário de combate!. (is the beginning of the conflict in the then Colonial Province of Guinea- Portuguese, where there was an organized and armed group that fought for the independence of its territory, initiating a guerrilla war, treacherous, deadly, trying to expel the native Portuguese of Europe, who ruled there for some hundreds of years, which was the reason for our immediate mobilization, embarkation, and travel to a combat scenario)!.

Tony Borie, April 2018.

…London!

…London!

…Londres!. (London)!.

…já lá vão uns anos!. Foi no último ano do século passado que, visitámos a cidade de Londres, em Inglaterra!. A nossa expectativa era grande, pois um nosso companheiro de trabalho, oriundo de Inglaterra, não parava de nos dizer maravilhas da cidade de Londres!. (It’s been years!. Was in the last year of the last century, that we visited the city of London in England!. Our expectation was great, as one of our fellow-travelers from England, kept telling us the wonders of the city of London)!.

…chegámos à cidade, atravessando o túnel do Canal da Mancha, que é um braço de mar que faz parte do oceano Atlântico, que separa a ilha da Grã-Bretanha do norte de França, unindo o mar do Norte ao oceano Atlântico, viajando no combóio rápido, (Eurostar), que atravessa este canal na área mais estreita, que normalmente chamam, o Estreito de Dover, oriundos da cidade de Paris em França, para onde viajámos uns dias antes!. (We came to the city, crossing the Channel Tunnel, which is an arm of the sea that forms part of the Atlantic Ocean, which separates the island of Great Britain from the north of France, joining the North Sea to the Atlantic Ocean, traveling in the fast train (Eurostar), which crosses this channel in the narrower area, which they usually call the Straits of Dover, from the city of Paris in France, where we traveled a few days before!.

…ainda nos USA, visitámos o centro de turismo de Inglaterra na cidade de Nova Iorque, colhendo alguma informação, inclusive marcando reserva em determinado hotel na cidade, que nos recomendaram, pois a sua localização era próximo de quase todas as atracções na cidade, com algum interesse para um visitante na nossa situação, que nada ou quase nada sabíamos da cidade de Londres!. (Still in the USA, we visited the tourist center of England in New York City, picking up some information, including booking a certain hotel in the city, which we were recommended as its location was close to almost all the attractions in the city , with some interest for a visitor in our situation, who knew nothing or almost nothing of the city of London)!.

…desembarcando na estação de St. Pancras, localizada ao norte do centro comercial da cidade de Londres, relativamente próxima do nosso destino, depois das formalizações alfandegárias, tomámos um táxi, que logo nos despertou a nossa curiosidade, pois o condutor, com muita gentileza, usando luvas brancas, colocou a nossa bagagem na parte trazeira do veículo, abriu-nos a porta, que abrem para o lado esquerdo, conduzindo também pelo lado esquerdo da faixa de rodagem, o que nos causava alguma confusão!. (Landing at St. Pancras station, located north of the commercial center of the city of London, relatively close to our destination, after the customs formalizations, we took a taxi, which soon aroused our curiosity, since the driver, with very kindly, wearing white gloves, put our luggage in the back of the vehicle, opened the door, which open to the left side, also driving on left side of the road, which caused us some confusion)!.

…no hotel, que era de regime B&B (cama e pequeno almoço), a pessoa responsável, sabendo-nos oriundos do lado de cá do oceano Atlântico, possívelmente recordando a história da luta pela independência dos USA, que antes era uma Colónia da Inglaterra, instalou-nos no último andar do edifício, tendo que subir umas tantas escadas em caracól!. (At the hotel, which was a B & B (Bed and Breakfast) regime, the responsible person, knowing us coming from here on the Atlantic Ocean, possibly recalling the history of the struggle for independence of the USA, which was once a colony of England, installed us on the top floor of the building, having to climb a few stairs in snail)!.

…a pessoa simpática do táxi, cedeu-nos toda a informação, ou quase toda que necessitávamos, para permanecer algum tempo na cidade, incluindo o número e destino dos autocarros públicos, as estações do metropolitano, como chegar aos pontos mais importantes, portanto começámos a vaguear pela cidade, tendo por primeiro destino a Torre de Londres!. (The nice person in the taxi gave us all the information, or almost all we needed, to stay in the city for some time, including the number and destination of public buses, the metro stations, how to get to the most important points, so we began to roam the city, having first destination the Tower of London)!.

…viajando no Metro (Underground), saímos na estação de Tower Hill, subindo na escada rolante até á superfície!. (Traveling Underground, we set off at Tower Hill station, climbing the escalator to the surface)!.

…caminhando para a área da Torre de Londres, onde já por ali havia pessoas, distribuindo programas com oferta de itinerário para uma visita, com pormenores!. (walking to the Tower of London area, where people were already there, distributing programs offering itinerary for a visit with details)!.

…dizendo-nos que a Torre de Londres é hoje um complexo de vários edifícios situados dentro de dois anéis concêntricos de paredes defensivas e um fosso!. (telling us that the Tower of London is now a complex of several buildings situated within two concentric rings of defensive walls and a moat)!.

…mais adiante, comprámos os bilhetes, seguindo uma extensa fila, onde alguém, trajando roupa de guarda real, nos foi explicando que, esta Fortaleza da Torre de Londres, é um castelo histórico, localizado na margem norte do Rio Tamisa, mas oficialmente é o Palácio Real de Sua Majestade!. Fomos andando, parando aqui e ali, o guarda real ia explicando que, esta Fortaleza foi fundada no final do ano de 1066, como parte da conquista normanda da Inglaterra!. (Later we bought the tickets, following an extensive line, where someone in royal guard clothing explained to us that this Tower of London Fortress is a historic castle, located on the north bank of the River Thames, but officially it is the Royal Palace of His Majesty!. We were walking, stopping here and there, the royal guard was explaining that, this Fortress was founded at the end of the year 1066, as part of the Norman conquest of England)!.

…que a Torre Branca, que dá nome a todo o castelo, foi construída por Guilherme, o Conquistador, no ano de 1078 e, era um símbolo ressentido da opressão infligida a Londres pela nova elite governante, no entanto houve várias fases de expansão, principalmente sob os reis Ricardo I, Henrique III e Eduardo XIII!. (that the White Tower, which gives name to the whole castle, was built by William the Conqueror, in the year 1078 and was a resentful symbol of the oppression inflicted on London by the new ruling elite, however there were several stages of expansion, especially under the kings Richard I, Henry III and Edward XIII)!.

…mais adiante, quase quando já deixávamos esta Fortaleza, esta simpática personagem, continuava falando, fazendo gestos estudados de representação, dizendo bem alto com sotaque na voz típico de Inglaterra que, este castelo foi usado como prisão por alguns séculos, embora este não fosse o seu objectivo principal, pois este grande palácio, no início da sua história serviu como residência real!. (Further on, almost as we left this Fortress, this nice character, he continued to speak, making gestures of representation, loudly accented by the voice typical of England, that this castle was used as a prison for a few centuries, although this was not the its main purpose, since this great palace at the beginning of its history served as royal residence)!.

…a Ponte da Torre de Londres, era já ali, fomos vê-la, construída sobre o Rio Tamisa por volta do ano de 1894, é um dos pontos que qualquer visitante desta cidade não perde a oportunidade de apreciar, é conhecida como uma das mais famosas pontes do mundo!. (The Tower Bridge of London, it was already there, we went to see it, built on the River Thames around the year 1894, is one of the points that any visitor of this city does not miss the opportunity to appreciate, is known as one of the most famous bridges in the world)!.

…subimos ao seu interior, onde se encontra parte de uma exposição permanente sobre a sua história, explicam-nos que as suas básculas não mais dependem das máquinas a vapor, pois um moderno sistema eletrónico é responsável por essa tarefa, contudo, o antigo mecanismo ainda pode ser apreciado, na antiga sala de máquinas da ponte!. Do seu interior, podemos disfrutar de um belíssimo cenário sobre o Rio Tamisa!. (We go up inside, where part of a permanent exhibition on its history, explain to us that its scales no longer depend on steam engines, because a modern electronic system is responsible for this task, however, the old mechanism still can be enjoyed in the old engine room of the bridge!. From the inside, we can enjoy a beautiful scenery on the River Thames)!.

…atravessando a ponte no seu total, caminhámos na beira do Rio Tamisa, apreciando algumas outras pontes, o movimento de algumas docas, parando num café esplanada, saborendo o típico “London Fish & Chips”, que consiste num filete de peixe e batatas fritas, alguns vegetais com um molho, que varia da especialidade do local onde é servido!. (Crossing the bridge in its totality, we walked on the banks of the River Thames, enjoying some other bridges, the movement of some docks, stopping in a café terrace, flavoring the typical “London Fish & Chips”, consisting of a fillet of fish and potato chips, some vegetables with a sauce, which varies from the specialty of the place where it is served)!.

…mais à frente parámos na, naquela ocasião nova atracção, que era a ainda não inaugurada, mas que já funcionava, “London Eye”, (conhecida por motivos de patrocínio como a Coca-Cola London Eye)!. (Further on we stopped at the new attraction, which had not yet been inaugurated, but that already worked, “London Eye”, (known for sponsorship reasons as the Coca-Cola London Eye)!.

…uma Roda Gigante, na margem sul do Rio Tamisa, que também naquela ocasião era a mais alta Roda do mundo, com uma estructura de 443 pés (135 m) de altura, que nos ofereceu um ponto de observação lindíssimo de grande parte da cidade!. (a giant Ferris Whell on the south bank of the River Thames, which at that time was also the highest Ferris in the world, with a structure of 443 feet (135 m) high, which offered us a beautiful observation point of much of the city)!.

…no próximo dia, viajando no metro (Underground), saímos na estação de Piccadilly Circus, que se situa bebaixo da praça com o mesmo nome, que é um entroncamento rodoviário e espaço público do West End de Londres, na cidade de Westminster. Picadilly Circus, é um espaço aberto e redondo, numa junção de ruas, ligando directamente aos teatros da Avenida Shaftesbury, bem como ao Haymarket, Ruas Coventry e Glasshouse, ficando perto das principais áreas comerciais e de entretenimento do West End!. (The next day, traveling in the Underground, we leave at the station of Piccadilly Circus, which is located under the square with the same name, which is a road junction and public space of the West End of London in the city of Westminster. Picadilly Circus is an open, round space at a junction of streets linking directly to the Shaftesbury Avenue theaters as well as the Haymarket, Coventry Streets and Glasshouse, and is close to the of West End entertainment)!.

…é um local de encontro movimentado, sendo uma atracção turística por si só, particularmente conhecido por neste local existir uma enorme tela de vídeo e sinais de néon, montados num prédio de esquina no lado norte, bem como a fonte memorial Shaftesbury e sua estátua, que é muito popular, estando rodeado por vários edifícios notáveis, incluindo o London Pavilion ou o Criterion Theatre!. (It is a bustling gathering place, being a tourist attraction by itself, particularly known for there being a huge video screen and neon signs, set up in a corner building on the north side, as well as the Shaftesbury memorial fountain and its statue, which is very popular, surrounded by several notable buildings, including the London Pavilion or the Criterion Theater)!.

…por aqui passamos algum tempo, caminhando pela Avenida Piccadilly, em direcção ao Parque Verde, que atravessámos para ir ver a Troca da Guarda no Palácio de Buckingham, que é um programa que mais visitantes atrai em Londres!. (We spent some time here, walking down Piccadilly Avenue towards Green Park, which we went through to see the Changing of the Guard at Buckingham Palace, which is a program that attracts more visitors in London)!

…é uma cerimónia curta, gratuita, mas temos que chegar com uma certa antecedência, tentando ficar perto dos portões, pois durante a cerimónia, que acontece na entrada principal do Palácio de Buckingham, os guardas responsáveis da segurança do Palácio são substituídos de uma maneira muito especial, acompanhados por uma Banda Musical Militar!. Tem uma duração de aproximadamente 45 minutos, durante os quais os guardas coroados com enormes chapéus de pelo, realizam um desfile ao ritmo de diferentes músicas, tanto militares, como de outros estilos mais actuais!. (It is a short, free ceremony, but we have to arrive in advance, trying to stay close to the gates, because during the ceremony, which takes place at the main entrance of Buckingham Palace, the guards responsible for the security of the Palace are replaced in a very special, accompanied by a Military Music Band!. It has a duration of approximately 45 minutes, during which guards crowned with huge hats, perform a parade to the rhythm of different songs, military as well as other more current styles)!.

…começou a chover, aquela chuva miudinha, com algum nevoeiro, típica da cidade Londres, nós um pouco cansados, pois a cerimónia no Palácio de Buckingham embora não fosse longa, tornou-se um pouco monótona, principalmente depois de ficar algum tempo esperando para conseguir um bom lugar para vê-la, todavia cansados, fomos caminhando pela Avenida Birdcage Walk, em direcção ao Rio Tamisa, parando para admirar com algum pormenor, o Palácio de Westminster, que é o ponto de encontro da Câmara dos Comuns e da Câmara dos Lordes, as duas casas do Parlamento do Reino Unido, que se situa na margem norte do Rio Tamisa, na cidade de Westminster!. (It began to rain, that little rain, with some fog, typical of the city London, we a little tired, because the ceremony in Buckingham Palace although it was not long, it became a little monotonous, mainly after staying some time hoping to get a good spot to see her, yet tired, we walked down Birdcage Walk towards the River Thames, stopping to admire in some detail, the Palace of Westminster, which is the meeting point of the House of Commons and of the House of Lords, the two houses of the United Kingdom Parliament, which is situated on the north bank of the River Thames in the city of Westminster)!.

…ao meio da Ponte de Westminster, sobre o Rio Tamisa, parámos olhando a Torre do Relógio, é um cenário muito popular, cremos que conhecido em todo o mundo, ouvimos o Big Ben, que é o apelido para o Grande Sino do relógio, que pesando 13,5 toneladas, é o maior do conjunto de cinco sinos, no extremo norte do Palácio de Westminster, onde geralmente dizem Big Ben, quando se referem tanto ao relógio como à Torre do relógio!. (In the middle of the Westminster Bridge, over the River Thames, we stopped looking at the Clock Tower, it is a very popular scenario, we think that known around the world, we hear Big Ben, which is the nickname for the Great Bell of the the clock, which weighs 13.5 tons, is the largest of the five-bells set at the north end of the Palace of Westminster, where they generally say Big Ben, when they refer to both the clock and the clock tower)!.

…ainda no meio da Ponte de Westminster, sobre o Rio Tamisa, vendo passar um barco no Rio, lembrámo-nos de um bilhete que estava em nosso poder, que era uma oferta suplementar do bilhete de entrada na Torre de Londres, que nos dava a possibildede de viajar por algum tempo no Rio Tamisa, imediatamente, usando a estação mais próxima do Metro, (Underground), deslocámo-nos para a doca de embarque, apreciando o cenário visto do rio!. Valeu bem esse tempo dispensado!. (Still in the middle of the Westminster Bridge over the River Thames, watching a boat pass by in River, we remembered a note which was in our possession, which was an additional offer of the entrance ticket to the Tower of London, which gave us the chance to travel for some time on the River Thames, immediately, using the station closest to the Underground, we moved to the embarkation dock, enjoying the scenery seen from the river !. It was well worth this time)!.

…regressámos ao hotel, um pouco cansados, molhados da chuva miudinha e do nevoeiro típico da cidade de Londres, mas contentes por conhecer uma cidade fundada pelos Romanos, que a chamaram de “Londinium”, que ainda retém os seus limites mediavais numa área de aproximadamente três quilómetros quadrados!. (We returned to the hotel, a little tired, wet from the small rain and the fog typical of the city of London, but glad to know a city founded by the Romans, who called it “Londinium”, that still retains its mediaval borders in a area of approximately three square kilometers)!.

…ainda tivémos alguma força para subir as tais escadas em caracól, dormimos algumas horas antes de, pela manhã tomar o combóio para o Aeroporto de Heathrow, que fica aproximadamente a 23 quilómetros do centro da cidade, viajando de regresso aos USA!. (We still had some strength to climb those stairs in a snail, we slept a few hours before, in the morning, take the train to Heathrow Airport, which is approximately 23 kilometers from the city center, traveling back to the USA !.

Tony Borie, April 2018.

…aqueles olhos!. (those eyes)!.

…somos sobreviventes de uma maldita guerra de guerrilha, numa região de África, onde uma das partes mais trágicas, para alguns talvez esperançosa, era a cara da necessidade humana!. Era o doente abandonado, a família faminta, a criança que não sabia ler, eram homens e mulheres, alguns sem abrigo, com roupa em farrapos, lutando pela sobrevivência, numa terra muito rica e com um solo muito fértil!. (we are survivors of a bloody guerrilla war in a region of Africa, where one of the most tragic parts, to some perhaps hopeful, was the face of human need! It was the abandoned patient, the hungry family, the child who could not read, were men and women, some homeless, clothed in rags, struggling for survival, in a very rich land with a very fertile soil)!.

…nós jovens, oriundos da Europa, com uma educação de aldeia, onde os princípios honestos de família vinham de há séculos, vendo todo este cenário, muitas vezes a angústia, o desespero e o medo, colocáva-nos numa situação horrível, onde entre outras coisas o álcool, nos aliviava a mente, pelo menos por momentos, pois este cenário estava lá, estava sempre presente, era a cara da guerra, com feridos e mortos em combate para ambos os lados, incluindo a população civil desarmada!. (we young people from Europe, with a village education, where the honest principles of family came from centuries ago, seeing this whole scenario, often the anguish, despair and fear, put us in a horrible situation, where, among other things, alcohol alleviated our minds, at least for a moment, because this scenario was there, it was always present, it was the face of war, with wounded and dead in combat on both sides, including the unarmed civilian population)!.

…os famintos, os doentes, os analfabetos e a miséria eram constantes e, infelizmente continuaram, mesmo depois, quando parecia que já havia paz, fazendo-nos lembrar que defacto saímos de África físicamente, mas possívelmente não trouxémos as armas, as bombas e as balas, deixando lá apenas, como seria nossa inteira obrigação, todas as maravilhosas armas da paz do século XX!. (the hungry, the sick, the illiterate, and the misery were constant and, unfortunately, continued, even afterwards, when it seemed that there was already peace, reminding us that we came out of Africa physically, but we might not have brought arms, bombs and bullets, leaving there only, as would be our entire obligation, all the wonderful weapons of peace of the twentieth century)!.

…aqui, onde presentemente vivemos, já lá vai mais de meio século da nossa vivência da Guerra Colonial Portuguesa, mas a nossa mente por vezes continua lá, na população, naquela aldeia ao norte do aquartelamento, na família da Cumba, que com sua irmã, eram as nossas lavadeiras, que mais tarde se tornaram guerrilheiras, com olhos azuis esverdeados, que diziam que eram descendentes dos padres, que antes de nós militares, estavam estacionados na vila de Mansoa, num convento de uma ordem religiosa francesa, convento este em ruínas, que nós ajudámos a recuperar, servindo por algum tempo das primeiras instalações militares!. (here, where we presently live, there is more than half a century of our experience of the Portuguese Colonial War, but our mind sometimes remains there, in the population, in that village north of the quarter, in the Cumba family, which his sister, were our washerwomen, who later became guerrillas with blue-green eyes, who said that they were descendants of the priests, who before us were stationed in the village of Mansoa, in a convent of a French religious order, a convent this in ruins, which we helped to recover, serving for some time from the first military installations)!.

…andava por lá uma rapariga, que vivia entre a vila e essa tal aldeia ao norte do aquartelamento, filha de mãe guineense e pai oriundo das ilhas de Cabo Verde!. Este, cuja profissão era marceneiro e, de um qualquer tronco de uma árvore fazia tábuas com que fabricava algumas cadeiras, mesas ou outros móveis, utilizando um grande serrote, que as suas mãos manuseavam!. A rapariga, que devia de andar pela idade de quinze dezasseis anos, tinha uns olhos azuis com uma tonalidade verde, que sobressaim do seu rosto moreno, onde o cabelo era entre o preto e o loiro, portanto uma figura bonita, que alguns militares ficavam admirados daquela beleza, comentando no aquartelamento!. (there was a girl there who lived between the village and this village north of the barracks, the daughter of a Guinean mother and a father from the islands of Cape Verde! This one, whose profession was a carpenter, and of any tree trunk made boards with which he made some chairs, tables, or other furniture, using a large saw, which his hands were handling! The girl, who was about to walk at the age of fifteen, had blue eyes with a green tinge that stood out from her dark face, where her hair was between black and blond, so a beautiful figure, admired by that beauty, commenting on the barracks)!.

…a menina Tereza, que era a tal costureira já com uma idade avançada, que por saber ler e escrever, entre outras coisas era a conselheira da família, lá na aldeia do Vale do Ninho d’Águia, na encostra agreste da montanha do Caramulo, em Portugal, por sinal uma grande desenvergonhada, pois não sei se estão lembrados, um dia pediu num final de uma carta da mãe Ilda, para lhe levar-mos da Guiné um “falo”, ou seja um “phallus”, ou mais propriamente um “pénis” em madeira de ébano preta, que tinha visto numa revista francesa, na cabeleireira da vila, quando aí foi fazer a permanente e fazer desaparecer o bigode por uns tempos, com um produto francês, que cheirava muito mal, onde diziam que os faziam em África!. Nessa ocasião, até mandou uma nota de vinte escudos para despesas, dizendo que era para lhe dar sorte na vida, pois todavia era solteira e já passava dos cinquentas!. (the girl Tereza, who was such a seamstress with an advanced age, who knew how to read and write, among other things, she was the family counselor, in the village of the Ninho d’Águia Valley, in the rugged mountain range of Caramulo, in Portugal, by the way a great disgrace, because I do not know if they are remembered, one day asked at the end of a letter of the mother Ilda, to take from Guinea a “phallus”, that is to say a “phallus” or rather a “penis” in black ebony wood, which he had seen in a French magazine, in the village hairdresser, when he went there to make the permanent and to make the mustache disappear for a while with a French product that smelled very badly, where they said they made them in Africa!. On that occasion, she even sent a note of twenty escudos for expenses, saying that it was to give her luck in life, because she was still single and she was over fifty)!.

…um certo dia visitámos a oficina do marceneiro, com a intenção de lhe pedir o favor de nos executar a encomenda da desenvergonhada menina Tereza, que felizmente, depois de uma demorada conversação, perguntando-nos ele, entre outras coisas qual a nossa sexualidade, nos acabou por resolver esse problema!. (one day we visited the carpenter’s workshop, with the intention of asking him to please us to carry out the order of the disembodied girl Tereza, who fortunately, after a long conversation, asking us, among other things, what our sexuality, we ended up solving this problem)!.

…todavia, agora infelizmente, tomámos naquela ocasião conhecimento de outro problema!. A sua filha, a tal rapariga bonita, olhos azuis, com tonalidade verde, cabelos pretos e loiros, era um “esqueleto”, cara e corpo, seco e mirrado, sentada num banco, amparando-se com um pau, já sem parte dos pés, as pernas embrulhadas em farrapos e com feridas, alguns dedos das mãos estavam tesos, falando aos soluços, pois dava a entender que não podia mover a língua!. Contudo, os seus olhos ainda com algum brilho, estavam lá!. Qustionámos o marceneiro sobre o estado deplorável da sua filha, este contou-nos que ela tinha muitas doenças, entre as quais a “lepra”, que estava à espera de morrer, que no aquartelamento já sabiam do seu estado de saúde, tomava alguns medicamentos, embora sabendo que não era possível a sua cura!. (however, now unfortunately, we took knowledge of another problem on that occasion!. Her daughter, this pretty girl, blue eyes, green tones, black hair and blond hair, was a “skeleton”, face and body, dry and shriveled, sitting on a bench, holding onto a stick, feet, legs wrapped in tatters and with wounds, some fingers of hands were limp, speaking in sobs, for he implied that he could not move his tongue! However, his eyes still brightened, were there! We asked the carpenter about his daughter’s deplorable condition. She told us that she had many illnesses, among them the “leprosy”, which was waiting to die, which in the barracks already knew of her state of health, took some medicines, although knowing that it was not possible to cure it)!.

…nós, de regresso ao aquartelamento, questionámos o “Pastilhas”, (o enfermeiro) que, depois de saber de onde vínhamos e o que tínhamos encomendado, nos mostrou um sorriso maldoso e provocativo, mas ele já sabia deste lamentável caso e, mudando a sua atitude, com os olhos focados em qualquer coisa que estava no chão, tentando esconder algumas lágrimas, levantou de novo o rosto, então sim, focou-nos nos olhos, não com os tais olhos azuis, com tonalidade verde, da rapariga bonita, com cabelos pretos e loiros, que agora estava a morrer, com muitas doenças mais a doença da “lepra”, mas sim, com uns olhos bondosos, que continuavam a esconder algumas lágrimas e, simplesmente encolheu os ombros, num gesto de pessoa derrotada!. (we returned to the barracks and questioned the “Pastilhas” (the nurse), who, after knowing where we came from and what we had ordered, showed us a wicked and provocative smile, but he already knew this lamentable case and, changing his attitude, his eyes focused on anything that was on the floor, trying to hide some tears, raised his face again, then yes, he focused on our eyes, not with those greenish-blue eyes of the a beautiful girl, with black and blond hair, who was now dying, with many illnesses but the illness of “leprosy”, but with kind eyes, who continued to hide some tears, and simply shrugged, in a gesture of defeated person)!.

… o “Pastilhas” (enfermeiro), devia de saber deste e de muitos mais casos, mas nada podia fazer, pois a falta de recursos, naquela região do interior da África, em pleno cenário de guerra, eram evidentes, morria-se única e simplesmente!. (the “Pastilhas” (nurse), he should have known of this and many more cases, but he could do nothing, since the lack of resources in that region of the interior of Africa, in the midst of war, were evident, he died only and simply)!.

…todavia o “Pastilhas”, (enfermeiro), e como era seu costume, sempre que nos via invadindo o seu território, puxou-nos para fora da enfermaria, talvez julgando que o nosso propósito, pois naquele momento fumávamos um cigarro feito à mão, era roubar o frasco do álcool!. (but the “Pastilhas” (nurse), and as was his custom, whenever he saw us invading his territory, he pulled us out of the infirmary, perhaps judging that our purpose, for at that moment we smoked a cigarette by hand, was to steal the bottle of alcohol)!.

…lembrando estes momentos passados em cenário de combate, largámos o computador, levantámo-nos, saímos ao quintal, olhámos o horizonte, vimos as horas, pensando como o relógio às vezes é tão lento!. (remembering these past moments in combat scene, we left the computer, we got up, we went out to the yard, we looked at the horizon, we saw the hours, thinking how the clock sometimes is so slow)!.

Tony Borie, May 2018.

…the greatest fortune!

…the greatest fortune!

…a maior fortuna!. (the greatest fortune)!.

…na época em que o conhecemos, tinha idade para ser nosso pai!. Já por diversas vezes contámos a sua odisseia de imigrante, com ou sem alguns pormenores, todavia, sempre que o lembramos, nasce em nós um certo orgulho, pois o senhor Joaquim, foi nosso companheiro na multinacional, onde exercemos a nossa profissão por um período de trinta anos, no estado de Nova Jersey!. (by the time we met him, he was old enough to be our father! On several occasions we have told you about your immigrant odyssey, with or without some details, however, whenever we remind you, a certain pride is born in us, for Mr. Joaquim was our companion in the multinational, where we held our profession for a period thirty years old, in the state of New Jersey)!.

…não possuía veículo automóvel, usava calças compridas, camisa, casaco, umas botas de cabedal preto muito bem engraxadas e, um chapéu que tinha vindo de França, podia fazer frio ou calor, usava sempre o mesmo estilo de roupa, mas sempre muito limpo!. Como não tinha licenças para conduzir, que normalmente servem para identificação, trazia sempre consigo uma cópia do seu passaporte, em formato reduzido, dentro de uma folha de plástico e, quando nos mostrava esse documento dizia:

– vocês não possuem um documento destes, eu sou cidadão dos Estados Unidos da América, e lembrem-se que, desde o ano de 1892 até 1954, ano em encerrou a estação de imigração do governo federal no porto de Nova Yorque, mais de 12 milhões de imigrantes passaram pela Ellis Island, (Ilha de Ellis)!.

(He did not have a car, he wore long trousers, a shirt, a coat, very well-polished black leather boots, and a hat that had come from France could be cold or hot, always the same style of clothing, but always very clean!. Since he did not have driving licenses, which are usually used for identification purposes, he always had a copy of his passport, in a reduced form, inside a plastic sheet, and when he showed us this document said:

– you do not have a document like this, I am a citizen of the United States of America, and remember that from the year 1892 to 1954, the year in which the federal government immigration station closed at the port of New York, more than 12 million of immigrants passed through Ellis Island, (Ellis Island!).

…alguns de nós, ouvíamos o senhor Joaquim com atenção, outros riam-se baixinho, pois ele repetia estas palvras vezes sem conta!. Todavia nós sabíamos quase toda a sua história, pois ele, algumas vezes em que íamos ao seu departamento reparar qualquer máquina, contáva-nos que, quando jovem, tal como os rapazes da sua idade, querendo fugir ao serviço militar, com receio de ir parar ao então Ultramar Português, fugiu de “a salto” para França!. (some of us, we listened to Mr. Joaquim with attention, others laughed softly, for he repeated these words over and over again! Yet we knew most of his story, for he, at times when we went to his department to repair any machine, told us that as a young man, like the boys of his age, wanting to flee for military service, fearing to go stop to the then Portuguese Overseas, escaped from “the jump” to France)!.

…fugir the “a salto” para França, não era difícil, pois era oriundo de uma aldeia de fronteira, na região de Bragança, onde o seu pai, além de cultivar umas terras de onde tirava o sustento para a sua família, também era “passador”, ou seja, ajudava a passar a fronteira, tinha muitos contactos!. (to escape the “the jump” to France, it was not difficult, since it came from a border village in the region of Bragança, where his father, in addition to cultivating some land from which he took his family’s livelihood, He was also a “passador”, that is, he helped to cross the border, he had many contacts)!.

…num grupo de candidatos a imigrantes, o Joaquim atravessou a fronteira para Espanha, depois para França, sabendo que, para lá dos Pirinéus havia trabalho!. Tendo alguns conhecimentos de agricultura, ficou a trabalhar numa quinta, numa região do sul de França!. Como jovem, depressa aprendeu a falar o idioma francês, não com precisão, mas o suficiente para manter uma conversação, onde conhece uma jovem de nacionalidade francesa, a Michele, por quem se apaixona!. (in a group of immigrant candidates, Joaquim crossed the frontier to Spain, then to France, knowing that, beyond the Pyrenees there was work! Having some knowledge of agriculture, he went to work on a farm in a region of southern France! As a young man, he quickly learned to speak the French language, not precisely, but enough to hold a conversation, where he meets a young woman of French nationality, Michele, whom she falls in love with)!.

…a Michele corresponde a essa paixão, namoram e, juntos foram à presença de um representante da Igreja Católica, que lhes leu a epístola, tornando-os marido e mulher para o resto das suas vidas!. Todavia, no pensamento do Joaquim, sempre existiu um horizonte para lá do oceano e, um dia disse à Michele:

– do lado de lá do Atlântico, é que gostava de um dia ir contigo. Tenho um fascínio pela América, porquê, não sei!.

…a Michele, aprovando tudo o que saía da sua boca, fazendo um gesto de concordância com a cabeça, responde-lhe:

– se é esse o teu desejo, porque não o realizamos!.

(Michele corresponds to that passion, they love, and together they went to the presence of a representative of the Catholic Church, who read them the epistle, making them husband and wife for the rest of their lives!. However, in Joaquim’s mind, there was always a horizon beyond the ocean, and one day he told Michele:

– On the other side of the Atlantic, I would like to go with you one day. I have a fascination for America, why, I do not know!.

To Michele, approving everything that came out of his mouth, making a gesture of agreement with the head, responds:

– If that is your wish, because we do not do it)!.

…os pormenores, ele nunca nos contou mas, explicou-nos que naquele tempo era assim e, passado uns dias vieram à cidade de Paris, a troco de algum dinheiro, conhecimentos da família da Michele, que sendo de nacionalidade francesa, com uns parentes a viver na cidade de Filadélfia, nos USA, contactaram uma agência de imigração do estado, preenchendo alguns papéis!. Voltaram à sua terra de origem, ficando a aguardar notícias!. Uns meses depois, recebem uma notificação para fazerem alguns exames médicos afim de embarcarem para Nova Iorque!. (He told us that at that time it was like that, and after a few days they came to the city of Paris, for some money, knowledge of Michele’s family, that being of French nationality, with some relatives living in the city of Philadelphia, USA, contacted a state immigration agency, filling out some papers!. They returned to their homeland, awaiting news!. A few months later, they receive a notification to take some medical examinations in order to embark for New York)!.

…terá sido assim?. Nunca soubemos, contudo alguns companheiros, do tempo em que o senhor Joaquim começou a trabalhar naquela multinacional, contavam uma história diferente, mas nós, acreditamos nas suas palavras!. Continuando, desembarcando em Nova Iorque, em Ellis Island, (Ilha de Ellis), recebeu o tal passaporte, onde lhe trocaram o nome, pois quando por ele chamávamos, ele sempre respondia:

– o meu nome é Jack, a América deu-me este nome e, eu sou de nacionalidade Americana!. Não sei se foi uma barreira no idioma e não me compreenderam ao desembarcar, ou um erro de ortografia do oficial de imigração, mas o meu primeiro nome é Jack!.

…alguns, ao ouvirem estas palavras, riam-se baixinho, mas nós acreditávamos no senhor Joaquim!.

(Will it have been like this?. We never knew, however, some companions, from the time that Mr. Joaquim started working at that multinational, they told a different story, but we, we believe in his words!. Continuing landing in New York, on Ellis Island, received the passport, where they changed his name, because when we called him, he always answered:

– My name is Jack, America gave me this name and, I am of American nationality!. I do not know if it was a language barrier and they did not understand me when I landed, or a spelling mistake of the immigration officer, but my first name is Jack!.

Some of them, when they heard these words, laughed softly, but we believed in Mr. Joaquim!

…quando chegaram aos USA, dirigiram-se aos tais parentes que viviam na cidade de Filadélfia, indo trabalhar para casa de uns diplomatas, já com uma certa idade, ajudando na cozinha e outros trabalhos e, uns anos depois, quando esses diplomatas faleceram, com algum dinheiro amealhado, vieram para o estado de Nova Jersey!. Compraram uma casa, o senhor Joaquim foi trabalhar na multinacional, no departamento de fundição, a Michele, numa fábrica, onde se faziam utensílios domésticos, a que chamavam a “fábrica das cafeteiras”!. (when they arrived in the USA, they went to such relatives who lived in the city of Philadelphia, going to work for some diplomats, at a certain age, helping in the kitchen and other works, and a few years later, when these diplomats passed away, with some money, they came to the state of New Jersey!. They bought a house, Mr. Joaquim went to work in the multinational, in the foundry department, Michele, in a factory, where they made household utensils, which they called the “coffee factory”)!

…o senhor Joaquim e a Michele, sem outra qualquer formação, a não ser honestos e trabalhadores, foram pais de quatro filhos!. O Zeca, é médico, frequentou a universidade com ajuda de uma bolsa de estudo, porque era um atleta, jogava futebol americano, corria com alguma velocidade!. A Lizete, é advogada, também frequentou a universidade com a ajuda de uma bolsa de estudo, porque era fora da média em matemática!. A Michele, nome da mãe, também é advogada, o senhor Joaquim e a Michele mãe, pagaram alguns estudos, depois um financiamente do banco facilitou o resto do pagamento da universidade, com a condição de, assim que começar a exercer a sua profissão, começar também a pagar ao banco!. O mais novo, o Joaquim, é professor, na universidade onde estudou, com a ajuda de uma bolsa de estudo, porque tal como a irmã Lizete, era acima da média em matemática!. (Joaquim and Michele, without any other training, other than honest and hardworking, were parents of four children!. Zeca, a doctor, attended university with the help of a scholarship, because he was an athlete, he played football, he ran with some speed!. Lizete, a lawyer, also attended university with the help of a scholarship, because she was out of math in average!. Michele, the mother’s name, is also a lawyer, Mr. Joaquim and Michele, the mother, paid for some studies, then a bank loan facilitated the rest of the university’s payment, on condition that, once she started to practice, start also to pay the bank!. The youngest, Joaquim, is a teacher, at the university where he studied, with the help of a scholarship, because like Sister Lizete, he was above average in math)!.

…estes quatro filhos, foram a fortuna angariada ao longo de muitos anos de sacrifício como imigrantes, do senhor Joaquim e da Michele!. Anos depois, a Michele mãe, morreu de câncer, depois de algum tempo sofrendo!. O senhor Joaquim, já viúvo, reformou-se, todavia não quis ir para casa de nenhum filho, dizia-nos:

– só vou incomodar!. Vou vender a casita, vou comprar perto da comunidade portuguesa, lá naquela cidade ao sul do Rio Passaic!. Lá, nas ruas, vou ver e falar com portugueses, vou ouvir o sino da igreja de Nossa Senhora de Fátima, vou lembrar a minha aldeia em Bragança!. É lá que desejo morrer!.

…o senhor Joaquim, viveu mais alguns anos, convivendo com a comunidade portuguesa, até que a morte o levou!. Paz à sua alma!.

(These four children, were the fortune raised over many years of sacrifice as immigrants, Mr. Joaquim and Michele!. Years later, Michele’s mother, died of cancer, after some time suffering!. Mr. Joaquim, already a widower, retired, but he did not want to go to any son’s house, he told us:

– I’ll just bother! I’m going to sell the house, I’m going to buy it near the Portuguese community, there in that city south of the Passaic River!. There, in the streets, I will see and speak with Portuguese, I will listen to the church bell of Our Lady of Fatima, I will remember my village in Bragança!. That’s where I want to die!.

Mr. Joaquim lived a few more years, living with the Portuguese community, until death took him!. Peace to your soul!.

Tony Borie, May 2018.